60
SNIRLit
 
 
 » Entrada > Unidade de Litoral (troço 02)
Ver no mapa:
Estações (6) Estruturas (26)
Praias (28) Batimetria
Unidade de Litoral Concelhos
Unidade de Litoral:  02 Foz do Rio Lima (N)-Cabo Sto. André
Última Data de Observação:  10/04/2002
Tipo de Sedimentos Emersos:  Areia grosseira a média
Tipo de Sedimentos Submersos:   -
Balanço Sedimentar:  Negativo
» Evolução   » Transporte Sedimentar   » Geomorfologia    
ULitoral com problemas gerais de erosão, em zonas arenosas, existindo risco costeiro acentuado na generalidade dessas zonas arenosas, face à ocupação aí existente. 
As areias no sector estudado provinham essencialmente dos rios com foz neste troço, sendo as praias essencialmente formadas por areias médias a grosseiras. Em alguns locais dominam os sedimentos cascalhentos. O fornecimento sedimentar de origem fluvial actual é relativamente reduzido, quando comparado com o original, por efeito da acção de barragens. A deriva litoral potencial é elevada, dirigida para sul, como resultado da elevada energia das ondas que actuam sobre esta zona costeira. O escasso fornecimento sedimentar fluvial faz com que o balanço sedimentar seja em geral negativo e que a deriva seja apenas parcialmente saturada. Desta forma, é natural o desenvolvimento de erosão e recuo costeiro intenso em zonas arenosas imediatamente a sul da foz dos rios principais e a inexistência de sedimento em quantidade apreciável junto a zonas rochosas. Os volumes removidos constituem uma parte significativa da carga sólida potencialmente transportada por deriva litoral. As praias abertas apresentam transporte longilitoral importante, existindo igualmente variações transversais significativas nas praias semi-encastradas, associadas a um funcionamento semi-fechado. Ambas possuem variação sazonal no perfil dominante e morfodinâmica geral intermédia. 
Costa rochosa baixa, com praias arenosas a cascalhentas estreitas mas extensas, abertas a semi-encastradas, separadas por zonas de afloramentos rochosos. As zonas arenosas mais extensas situam-se preferencialmente a sul da foz dos cursos de água principais: Praia do Cabedelo (Rio Lima), Praias de Ofir-Pedrinhas (Rio Cávado). A maior parte destas praias estão associadas ao desenvolvimento de restingas, enraizadas na margem esquerda da foz dos rios. A formação destas acumulações arenosas teve como consequência o desvio da foz dos rios para norte até encontrarem um obstáculo estável. A faixa costeira é formada por uma planície litoral talhada em rocha, com cobertura dunar em extensas áreas. Nas zonas de restingas arenosas a faixa costeira é dominada por cordões dunares. As praias apresentam numerosos afloramentos rochosos na faixa da baixa-mar e na zona submersa, muitos dos quais têm expressão sub-aérea, formando escolhos e leixões. Os afloramentos rochosos conferem uma protecção natural à praia. 
Bibliografia:  
A evolução e o ordenamento do litoral do Minho
Publicação do Parque Nacional da Peneda-Gerês, 33pp.
1986

Causas e Processos da Dinâmica Sedimentar na Evolução Actual do Litoral do Alto Minho
Tese de Doutoramento, 438 pp.
1996

Erosão costeira no litoral norte. Considerações sobre a sua génese e controlo
Actas do 1º Simpósio sobre a Protecção e Revalorização da Faixa Costeira do Minho ao Liz, p.201-220.
1990

Geochronology and recent geomorphological evolution of the Northwest coastal zone of Portugal
Partnership in Coastal Zone Management, p. 297-308
1996

Is the Coastline Protection" of Portugal by hard Engineering structures Effective?"
Journal of Coastal Research 11/4/1229-1241
1995

Morfologia e cronologia dos sistemas dunares da zona costeira noroeste de Portugal
Museu e Lab. Min. Geol., Univ. Porto, Memórias , 4:417-420.
1995

Notas para uma estratégia de gestão da orla costeira
Colectânea de Ideias sobre a Zona Costeira de Portugal, 265-284p.
1997

Present dynamics in the Alto Minho coast (NW Portugal)
Proc.Int.Coast.Congress, p.201-213
1992

Proteger ou não proteger ou sobre a viabilidade de diferentes opções face à erosão da costa oeste portuguesa
Colectânea de Ideias sobre a Zona Costeira de Portugal, 205-228p.
1997

Realismo e pragmatismo: uma necessidade para o aproveitamento dos recursos naturais da zona costeira (o exemplo da zona costeira do noroeste de Portugal)
Colectânea de Ideias sobre a Zona Costeira de Portugal, 25-66p.
1997

Repensar a Geodinâmica na Zona Costeira: o Passado e o Presente; que Futuro?
Tese de Doutoramento, 347pp.
1990

Some examples of inappropriate coastal management practice in Nortwest Portugal
Studies in European Coastal Management, p. 121-128
1996

The Landscape of the coastal zone of NW Portugal-its degradation and management
LITTORAL`98 Proceeding, p. 95 - 100
1998

Urban rexpansion in high risk northwest coastal areas of Portugal
Littoral' 94, Vol. II: 981-996
1994

 
© SNIRLit 2003-2017 | contacto: snirh@inag.pt | Visite também o SNIRH em http://snirh.pt
Navegação através de listagens Seleccione no mapa da esquerda Praias mapas Águas Costeiras e de Transição