58
SNIRLit
 
 
 » Entrada > Unidade de Litoral (troço 21)
Ver no mapa:
Estações (50) Estruturas (25)
Praias (36) Batimetria
Unidade de Litoral Concelhos
Unidade de Litoral:  21 S. Julião da Barra-Praia das Bicas
Última Data de Observação:  14/01/2003
Tipo de Sedimentos Emersos:  Areia grosseira a fina
Tipo de Sedimentos Submersos:   -
Balanço Sedimentar:  Negativo
» Evolução   » Transporte Sedimentar   » Geomorfologia    
Nesta ULitoral, observa-se erosão e recuo da linha de costa tanto no litoral arenoso como no litoral com arriba, existindo várias situações de risco, dada a intensa ocupação existente na orla costeira. Salienta-se a zona entre a Cova do Vapor e a Praia da Mata, incluindo toda a zona costeira da Costa da Caparica, Fonte da Telha e Lagoa de Albufeira (ocupação na parte sul). 
No que diz respeito ao transporte, balanço sedimentar e dinâmica litoral em geral, o troço costeiro pode ser dividido em dois sectores distintos (norte e sul), com uma zona intermédia de transição. No sector norte, junto à Costa da Caparica e a norte desta localidade, as praias são formadas por areias finas a médias, na sua parte emersa. A resultante anual da deriva litoral potencial é moderada e dirigida para norte, por efeito de abrigo à agitação de noroeste e pela refracção existente sobre o banco do Bugio. A fonte sedimentar natural é o fornecimento fluvial, actualmente reduzido. O balanço sedimentar global neste sector é negativo, o que se traduz em erosão costeira acentuada e recuo da linha de costa. O perfil de praia possui aqui variação sazonal dominante e morfodinâmica geral intermédia a dissipativa. No sector sul, as praias são formadas por areias médias a grosseiras, na sua parte emersa. A resultante anual da deriva litoral potencial é elevada e dirigida para sul. A fonte sedimentar natural é a deriva litoral. O balanço sedimentar global neste sector é negativo, o que se traduz em erosão costeira e recuo da linha de costa. O perfil de praia transita de variação sazonal para resposta rápida dominante e possui morfodinâmica geral intermédia a reflectiva. 
Costa arenosa aberta e exposta, com praias arenosas extensas, com formas geralmente bem definidas, praticamente sem interrupções, com excepção na parte norte do troço (Costa da Caparica), onde se encontram algumas estruturas de engenharia costeira que condicionam o transporte longilitoral e conferem aspecto irregular à linha de costa. A largura das praias é relativamente elevada ao longo de todo o sector, com excepção da zona afectada pelas estruturas de engenharia. A faixa costeira é formada por corpos dunares na parte norte do sector, transitando para arribas talhadas em rochas brandas nas partes central e sul. O cordão dunar encontra-se frequentemente destruído ou danificado por acção antrópica. Uma das morfologias mais importantes deste troço costeiro é a Lagoa de Albufeira, isolada do mar por uma barreira arenosa estreita e contínua, por vezes interrompida por uma barra, provida de um canal estreito, pouco profundo e fortemente meandrizado. A barra é aberta artificialmente, em regra com periodicidade anual. A praia submersa apresenta pendor médio relativamente pequeno e sistema ridge and runnel, na parte norte, transitando para sistema barra-fossa, na parte sul. 
Bibliografia:  
A Planície Litoral entre a Trafaria e a Lagoa de Albufeira
Tese de Mestrado, 190 pp.
1986

Agitação Marítima na Costa Portuguesa, Dados de Base, Observações Efectuadas em Cascais, Costa da Caparica e Lagoa de Albufeira

Lisboa 1988

Analyse de la houle sur la côte portugaise entre Peniche et Lagoa de Albufeira par télédetection satellitaire
Gaia 9
1994

Arco Caparica - Espichel - Nota prévia sobre a morfologia das praias e textura dos sedimentos
Geolis, III(1/2):207-211.
1989

Aspectos do Relevo de Portugal. Litorais Ocidental e Meridional da Península de Setúbal
Finisterra, XXIII(46): 335-349.
1988

Descrição da costa marítima comprehendida entre o cabo de S. Vicente e a foz do rio Douro
Rev. Obras Publicas e Minas, III (35/36):373-399.
1872

Dinâmica das Praias da Península de Setúbal (Portugal)
Tese de Mestrado, 190 pp.
1990

Lagoa de Albufeira - Estudo preliminar
Geolis, IV(1/2):153-172.
1990

Means of controlling littoral drift to protect beaches, dunes, estuaries and harbour entrances. Establishments of artificial beaches
LNEC - Memória nº448, p. 1-26
1974

O regime aluvionar da costa portuguesa entre Peniche e a foz do Mira
Ingenium, 8: 4-18.
1987

Recent evolution of Óbidos and Albufeira coastal lagoons
Proc.Int.Coastal Congr., p.167-186.
1992

SIG - Potencialidades na avaliação de riscos litorais. O exemplo no Arco Litoral Caparica - Espichel
3º Simpósio sobre a Margem Continental Ibérica Atlântica, p. 363-364
2000

Sistemas fluvio-lagunares a sul do Tejo: evolução a escalas temporais diferentes

1997

Some proposals for a coastal system management (The Lagoon of Albufeira case)
Thalassas, 4(1): 37-42.
1986

 
© SNIRLit 2003-2017 | contacto: snirh@inag.pt | Visite também o SNIRH em http://snirh.pt
Navegação através de listagens Seleccione no mapa da esquerda Praias mapas Águas Costeiras e de Transição