8
SNIRLit
 
 
 » Entrada > Unidade de Litoral (troço 03)
Ver no mapa:
Estações (10) Estruturas (35)
Praias (48) Batimetria
Unidade de Litoral Concelhos
Unidade de Litoral:  03 Cabo Sto. André-Foz do Douro (N)
Última Data de Observação:  10/04/2002
Tipo de Sedimentos Emersos:  Areia grosseira a média
Tipo de Sedimentos Submersos:   -
Balanço Sedimentar:  Negativo
» Evolução   » Transporte Sedimentar   » Geomorfologia    
ULitoral com problemas de erosão em muitos sectores arenosos, existindo risco costeiro em quase todos esses sectores, dada a frequente ocupação dos mesmos, nomeadamente entre A-Ver-o-Mar e Vila do Conde (excepto a norte do molhe N da Póvoa do Varzim). A erosão co-existe com a acreção, que se faz sentir igualmente em muitos locais, nomeadamente por acção de estruturas de engenharia costeira. 
As areias no sector estudado provêm essencialmente dos rios e ribeiras com foz neste troço, sendo as praias essencialmente formadas por areias médias a grosseiras. Em alguns locais dominam os sedimentos cascalhentos. O fornecimento sedimentar actual é relativamente reduzido, quando comparado com o original, por efeito da acção de barragens. A deriva litoral potencial é elevada, dirigida para sul, como resultado da elevada energia das ondas que actuam sobre esta zona costeira. O escasso fornecimento sedimentar faz com que o balanço sedimentar seja em geral negativo e que a deriva seja apenas parcialmente saturada. Desta forma, é natural o desenvolvimento de erosão e recuo costeiro intenso em zonas arenosas e a inexistência de sedimento em quantidade apreciável junto a zonas rochosas. Grande parte das dunas está actualmente em erosão, formando arribas vivas. Os volumes removidos constituem uma parte significativa da carga sólida potencialmente transportada por deriva litoral. As praias apresentam variação transversal importante, associada a um funcionamento em sistema fechado a semi-fechado, possuindo variação sazonal no perfil e morfodinâmica geral intermédia. Em alguns locais existem praias semi-abertas com transporte longilitoral importante. 
Costa rochosa baixa, com praias arenosas a cascalhentas ocasionais, de pequena dimensão, encastradas a semi-encastradas. A zona arenosa mais extensa situa-se a sul da foz do Rio Ave. Em alguns locais a praia apresenta forma de concha, estando localizada entre tômbolos enraizados em afloramentos graníticos. A faixa costeira é formada por uma planície litoral talhada em rocha, com cobertura dunar em vários locais. As dunas encontram-se profundamente modificadas pela acção antrópica, nomeadamente pela construção civil e pela agricultura. A zona submersa apresenta uma serie de afloramentos rochosos que conferem uma protecção natural à praia. A faixa costeira da Póvoa de Varzim à Foz do Ave e de Matosinhos à Foz do Douro apresenta-se totalmente ocupada, sem cordão dunar e com importantes estruturas de engenharia costeira. 
Bibliografia:  
A evolução e o ordenamento do litoral do Minho
Publicação do Parque Nacional da Peneda-Gerês, 33pp.
1986

Agitação Marítima na Costa Portuguesa, Dados de Base, Observações Efectuadas na Póvoa de Varzim e Leixões

Lisboa 1987

Coastal Regime. Carriage of material by swell and currents. Model studies and in situ observations. Influence of port structures. Coastal defence works. Breakwaters
Memória nº 362
1970

Erosão costeira no litoral norte. Considerações sobre a sua génese e controlo
Actas do 1º Simpósio sobre a Protecção e Revalorização da Faixa Costeira do Minho ao Liz, p.201-220.
1990

Geochronology and recent geomorphological evolution of the Northwest coastal zone of Portugal
Partnership in Coastal Zone Management, p. 297-308
1996

Littoral Problems in the Portuguese West Coast
Coastal Engineering 1982
1982

Morfologia e cronologia dos sistemas dunares da zona costeira noroeste de Portugal
Museu e Lab. Min. Geol., Univ. Porto, Memórias , 4:417-420.
1995

Proteger ou não proteger ou sobre a viabilidade de diferentes opções face à erosão da costa oeste portuguesa
Colectânea de Ideias sobre a Zona Costeira de Portugal, 205-228p.
1997

Realismo e pragmatismo: uma necessidade para o aproveitamento dos recursos naturais da zona costeira (o exemplo da zona costeira do noroeste de Portugal)
Colectânea de Ideias sobre a Zona Costeira de Portugal, 25-66p.
1997

Some examples of inappropriate coastal management practice in Nortwest Portugal
Studies in European Coastal Management, p. 121-128
1996

The Landscape of the coastal zone of NW Portugal-its degradation and management
LITTORAL`98 Proceeding, p. 95 - 100
1998

Urban rexpansion in high risk northwest coastal areas of Portugal
Littoral' 94, Vol. II: 981-996
1994

VIAGEM AO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO DA FAIXA LITORAL DA CIDADE DO PORTO
GEOLOGIA NO VERÃO 2002
2002

 
© SNIRLit 2003-2017 | contacto: snirh@inag.pt | Visite também o SNIRH em http://snirh.pt
Navegação através de listagens Seleccione no mapa da esquerda Praias mapas Águas Costeiras e de Transição