28
SNIRLit
 
 
 » Entrada > Unidade de Litoral (troço 25)
Ver no mapa:
Estações (0) Estruturas (0)
Praias (4) Batimetria
Unidade de Litoral Concelhos
Unidade de Litoral:  25 Praia da Raposa (Pinheiro da Cruz)-Ribeira das Fontainhas
Última Data de Observação:  14/01/2003
Tipo de Sedimentos Emersos:  Areia grosseira a média
Tipo de Sedimentos Submersos:   -
Balanço Sedimentar:  Equilíbrio
» Evolução   » Transporte Sedimentar   » Geomorfologia    
Observa-se erosão e recuo da linha de costa em toda aULitoral. Não existem situações de risco, face à quase inexistente ocupação da maior parte do troço. 
As praias são formadas por areias médias a grosseiras, na sua parte emersa. A resultante anual da deriva litoral potencial é elevada e dirigida para sul. As fontes sedimentares naturais são a deriva litoral e a erosão das arribas. O balanço sedimentar global neste sector é negativo, o que se traduz em erosão costeira e recuo da linha de costa, como forma de saturar a deriva litoral. No entanto, os principais processos responsáveis por erosão e recuo das arribas deste troço são de origem sub-aérea. A evolução do perfil da arriba dá-se sobretudo por ravinamento, que se torna mais activo nos troços em que o mar atinge a base da arriba. O perfil de praia possui resposta sazonal dominante e morfodinâmica geral intermédia a reflectiva. 
Costa arenosa aberta e exposta, com praias arenosas extensas, com formas geralmente bem definidas, sem interrupções. A faixa costeira é formada por arribas baixas, activas, cobertas por dunas antigas que devido à reduzida altura da arriba se encontram por vezes em ligação com as dunas actuais que se formam na alta praia. Neste troço existem cones de detritos, que se ligam à praia e que evidenciam a escorrência superficial existente nas arribas. A praia submersa apresenta pendor intermédio, possuindo sistema barra-fossa. 
Bibliografia:  
A evolução do litoral a partir da rede hidrográfica. O exemplo da Ribeira da Comporta
Actas da I Reunião do Quaternário Ibérico, 1: 297-309.
1985

Contribuition a l'etude du transit littoral sur la côte de Galé (Portugal)
Actes du Congrès d'Océanologière de Bordeaux.
1985

Descrição da costa marítima comprehendida entre o cabo de S. Vicente e a foz do rio Douro
Rev. Obras Publicas e Minas, III (35/36):373-399.
1872

Estudo da influência da abertura ao mar sobre um sitema lagunar costeiro. A Lagoa de Santo André"
Tese de Doutoramento, 327 pp.
1989

Etude Preliminaire sur la dynamique sedimentaire de la cote de Gale (Portugal)
J. Rech. Océanogr., 11(2): 63-65.
1986

Evolução das arribas do arco litoral Tróia-Sines: Resultados preliminares
Museu e Lab. Min. Geol., Univ. Porto, Memórias , 4:421-425.
1995

Evolução das Arribas do Arco Tróia-Sines
Tese de Mestrado, 135 pp.
1994

Evolução de arribas litorais: importância de estudos quantitativos na previsão de riscos e ordenamento da faixa costeira
Colectânea de Ideias sobre a Zona Costeira de Portugal, 67-86p.
1997

O regime aluvionar da costa portuguesa entre Peniche e a foz do Mira
Ingenium, 8: 4-18.
1987

Sistemas fluvio-lagunares a sul do Tejo: evolução a escalas temporais diferentes

1997

 
© SNIRLit 2003-2017 | contacto: snirh@inag.pt | Visite também o SNIRH em http://snirh.pt
Navegação através de listagens Seleccione no mapa da esquerda Praias mapas Águas Costeiras e de Transição